sábado, 12 de maio de 2012


Independência nada mais é do que ter poder de escolha. Conceder-se a liberdade de ir e vir, atendendo suas necessidades e vontades próprias, mas sem dispensar a magia de se viver um grande amor. Independência não é sinônimo de solidão. É sinônimo de honestidade: estou onde quero, com quem quero, porque quero.



Martha Medeiros

6 comentários:

APENAS PALAVRAS disse...

Amei o textoe a postagem lnda....Estou passando pra te deixar um bj de afeto e que seu fim de semana possa ser maravilhoso...

wcastanheira disse...

Uuau belo, optar por Martha é não querer correr o risco de errar, vc esteve iluminada na sua escolha, pra vc linda poetiza bjos, bjos e bjossssssssssssssss

Amanda Sanches - Camila Sanches disse...

Independência, tudo o que eu quero!

bjs

Luiza Fernandes disse...

Independência e liberdade, são duas das melhores coisas da vida.
Um abraço e ótima semana! =)

APENAS PALAVRAS disse...

Enquanto houve mentes brilhantes como a sua a qual posta coisas maravilhosas haverá sempre um balde de gelo no qual poderá com poucas ou muitas palavras expor seja lá como for aquilo que sua linha da imaginação possa ela crias sempre estará parte daquilo que és daquilo que nos revela numa simples imagem assim como ti na sua mais pura simplicidade de mulher que és no intimo que fora criada posta sempre algo referenciando a fragelidade a força e as virtudes da mulher naquilo que és mulher. Obrigada linda por fazer o mesmo retribuindo de bom grado minha visita no seu blog o qual já esta em meus favoritos guardado com muito carinho em meu coração.... Jamais a questionarei por que não a o que questionar tudo é perfeito e feito de uma tamanha magnitude que são meramente expressas de uma maneira tão suave e simples como se escrevesse cada palavra e cada linha com o sopro e a suavidade de sua respiração que nos faz crer que na simplicidade daquilo que fora criada mulher tem o poder e o dom da escrita na sua pura feminidade...Eu queria escrever luxuoso palavras,e sar palavras que rebrilhassem molhadas e fossem peregrinas. Às vezes solenes em púrpura, às vezes abismais esmeraldas, às vezes leves na mais fina seda macia... E assim vou eu contando versos e prosas de uma maneira suave e continua... E nas minhas mais finas palavras descrevo com naturalidade aquilo que a de mais puro em ti sua simplicidade na escrita...Obrigada grande poeta. Adorei vir aqui e me deslumbrei com as maravilhas de suas inspirações.Tomei a liberdade em postar este comentário em teu blog... Retribuindo desta forma, de uma maneira carinhosa a sua expressiva visita no meu blog, as quais as têm enriquecido com seus mais refinados comentários... Um bom final de semana!
Um grande abraço!E um carinhoso beijo....
.Um forte abraço e um bj bem no seu coraçãozinho....
http://www.uanderesuascronicas.blogspot.com

Fagner J. Faxina disse...

Muito bom!
A verdadeira liberdade nos deixa livre pra nos prendermos em quem quisermos. rss
bjsss